Apego e Desapego


Apego e Desapego. Como se equilibrar entre essas duas vertentes?

Conheça cada uma delas e busque se transformar para encontrar o caminho do meio.

Origens

As paixões normalmente geram o Apego. A Indiferença gera o Desapego. E como fazer para equilibrar os dois? Ter o Apego ou Desapego em excesso não é bom, ou seja, tudo aquilo que passa dos limites cria um problema. Podemos nos basear em uma das frases que estava descrita no templo de Apolo e muito usada pelo Sócrates, principal filósofo da Maiêutica: “Nada em Demasia”. Ter Apego natural, ou seja, que está de acordo com a razão, vale a pena se manter, assim como, o Desapego de forma sadia.

Apego Excessivo

Por exemplo, você tem uma família, vai constituindo, tendo filhos, ou então você tem um emprego, um bem material que você conseguiu a duras penas ou mesmo com certa facilidade, enfim não importa, o que importa é que se você se apega em demasia. Então, na primeira perda em relação ao objeto de sua afeição. Pronto! Você já tem um problema, se descontrola, cai numa depressão ou descompensação emocional grave, simplesmente porque você perdeu ou teve algum tipo de dano naquele Bem Material ou Naquela Pessoa por qualquer motivo.

Desapego Excessivo

E por outro lado, se você não se Apega a Nada, ou seja, você é indiferente à toda e qualquer tipo de situação, o que acontece? Bem, você fica em um mundo solitário, não tem vontade de progredir, de aprender, nada lhe parece agradável ou valha a pena, e esse extremo é uma atitude muito prejudicial. Você simplesmente não sente necessidade a se apegar a coisa alguma.

O Caminho do Meio

Então, o que fazer? É encontrar o caminho do meio, nem ser apegado ou desapegado ao extremo. Se você é muito apegado, treinar o desapego, se for o contrário, treinar o apego. O ideal é ter aquele pensamento: “Enquanto estiver comigo, vou aproveitando!”

Voltando ao nosso exemplo sobre a Família, você não imagina que você pode morrer, mesmo jovem, ou de uma enfermidade que possa vir e mudar toda a rotina de vida que você está habituado. E isso te leva a um desespero muito grande, e isso gera uma mudança, no caso de bens materiais (Casa, Carro, Emprego, Empresa,etc), de repente isso tudo vai embora. Uma enfermidade, um câncer, um aneurisma cerebral, ou o plano de saúde não é suficiente, enfim, há uma mudança de contexto, e muda de tal forma que você sai de uma polaridade e vai para a outra de total indiferença: “Não vale a pena evoluir! Não vale a pena trabalhar, tudo o que eu lutei tanto eu perdi, etc”, enfim, a pessoa então nunca raciocina de que a “sombra é tão importante quanto a luz”.

Estar preparado para Mudanças

Ter essa consciência de que uma hora para outra sua vida pode mudar, se torna muito mais fácil lidar com os problemas quando eles surgem. Por exemplo, você está em um emprego e a empresa onde você trabalha precisa fazer uma contenção de despesas e é obrigada a mandar algumas pessoas embora. Só esse fato, já vai gerar um sentimento do tipo “Para que trabalhar? Eu posso ser o próximo a ser mandado embora!” e pode virar um Transtorno Bipolar.

Transtorno bipolar é uma mudança de personalidade, por exemplo, uma pessoa é bem apegada a suas atividades, estuda, trabalha, de repente dá uma mudança comportamental ou na situação que ela vive que ela larga da faculdade, larga do trabalho e desapega da vida total. O que pode ter causado esse desapego? Uma perda de dinheiro (perde investimentos, é despedido, sua empresa faliu, etc), uma perda da afeição (separação amorosa, perda de um ente querido, etc).

Claro que devemos nos apegar as coisas, mas não excesssivamente, devemos nos desapegar dos vícios, das más inclinações, das dificuldades de vida. Assim como dos bens materiais, empregos, etc., de forma tranqüila e sensata, ou seja, pensar: “Eu tenho agora, mas como eu reagirei quando não tiver amanhã?

Uma pergunta para você!

Vamos começar a analisar essa questão do apego e desapego. Quanto você está apegado? Quanto você está desapegado?

E se tem esse Apego e Desapego, são suficientes para você alcançar o caminho do meio? Lembre-se que o caminho do Meio é o caminho da sensatez, da sabedoria. Pense, analise e faça uma modificação em sua forma de lidar com o Apego e Desapego e se preparar para quando chegar às mudanças de sua vida.

Sempre se faça a pergunta: “Eu tenho agora, mas como eu reagirei quando não tiver amanhã?”

(Texto baseado em um trecho da Palestra de Dr. Reynaldo Leite - Arautos do Kardecismo)

Compartilhe este artigo

Comentários (6)

  • Maria Aparecida da Rocha, criciuma sc Denunciar

    tenho este problema com o meu marido sempre que precisa se afastar por algum motivo,fico doente penso mil coisas,nao como ,olha e dificio.........

  • Denunciar

    nossa aprendi muito com esta texto me apego muito as pessoas obrigada equipe do portal esoterico

  • Leila, vacaria Denunciar

    Este assunto é muito sério, porque na maioria das vezes se não temos um, temos o outro por isso devemos aprender a nos equilibrar.

  • Leila, vacaria Denunciar

    adorei o texto,nos ensina que nada em excesso é bom temos que nos manter equilibrado.

  • nina, rio de janeiro Denunciar

    nossa essa história dificil mesmo, era muito apegada a uma irmã que ja se foi a 9 anos, poo muito triste mesmo fiquei sem meu chão, mas me ensinou que temos que andar com os nossos´pés, não a se apegar a ninguém viver sempre feliz é o que mais se importa nesa vida e sempre ajudando o próximo!!!!!

  • maria Denunciar

    quando li esse texto me vir nele,adorei

Faça um comentário

Caso tenha um Perfil ativo no site, entre no Perfil antes para facilitar o preenchimento deste formulário


Loja Tempo Avon