Procure amar as próprias perguntas

Seja paciente com tudo que não há
solucionado em seu coração
E procure amar as próprias perguntas
Não procure as respostas que não
lhe podem ser dadas
Porque não poderia vivê-las
E o que importa é viver tudo
Viva as perguntas agora
Talvez gradativamente e sem perceber
Chegue a viver algum dia distante as respostas


Esforce-se por amar as suas próprias dúvidas como se cada uma delas fosse um quarto fechado, um livro escrito em língua estrangeira. Não procure, por enquanto, respostas que não lhe podem ser dadas, porque não saberia colocá-las em prática, vivê-las. E trata-se, precisamente, de viver tudo. De momento, viva apenas as suas interrogações.
Talvez que, simplesmente vivendo-as, acabe um dia por penetrar insensivelmente nas respostas.

Rilke, Rainer Maria, Cartas a um jovem poeta, Contexto Editora, 2000, Carta IV, pág.36 e 37.

Compartilhe este artigo

Comentário (1)

  • rosanacamposdeoliveira Denunciar

    adorei, realmente é a mais pura das verdades quantas respostas queremos, sem pensar que talvez algumas delas nos decpcione

Faça um comentário

Caso tenha um Perfil ativo no site, entre no Perfil antes para facilitar o preenchimento deste formulário