Sobre o vazio existencial

Existe uma coisa chamada VAZIO EXISTENCIAL, que é a dificuldade que o ser humano tem em viver em solidão, na realidade não é em solidão, é viver consigo mesmo.

Quando nós não estamos com nossa vida cheia de coisas para fazer, a gente acaba tendo de ficar com a gente mesmo, não é? Quantas pessoas existem que buscam freneticamente as diversões, prazeres e vícios, apenas para ter companhia?

Porque não se suportam, temem a solidão de modo doentio, e tentam de mil maneiras (nem sempre equilibradas de evitá-la), ou talvez, pelo pavor de se enxergarem por dentro, que o confronto com o “estar sozinho” propicia.

Então isso é muito interessante, porque às vezes, essa luta interna, de buscar o nosso auto-conhecimento, pode nos causar essa sensação de solidão. Mas essa solidão só é “pesada” e doentia ou que nos leva a depressão, se a gente não tiver uma visão mais ampla do que é a nossa existência, para que serve a nossa vida.

Frase: “Se hoje nos matamos mais que ontem, não é porque temos de fazer esforços mais dolorosos, nem porque nossas necessidades íntimas estão menos satisfeitas, mas é porque já não sabemos quais são as nossas necessidades íntimas, nem tampouco percebemos o sentido de nossos esforços.”

É o tal do vazio existencial que nos leva ao desespero, pois, a gente acaba sendo cruéis conosco mesmo, exigindo nossa perfeição, quando nós apenas somos perfectíveis, ou seja, vamos sendo completos dentro de nosso processo de aperfeiçoamento.


Dicas para Mudar

Aumentar mais a nossa mente, sem pensamentos pré-concebidos, manter a mente aberta, honestidade em admitir que nós não sabemos tudo, saber ouvir opiniões diferentes uma das outras e a boa vontade para estar mudando de comportamentos e convicções.

E isso é muito importante para aqueles que não se valorizam, que possuem baixa auto-estima, pois alimenta pensamentos negativos sobre si mesmo. Não adianta ficar negando: "Eu não tenho problemas de egoísmo, ou comigo mesmo ou apegos excessivos às pessoas, instituições e idéias". Seja honesto com você mesmo, admita que você é impotente perante esse comportamento que já lhe é automático, ou seja, quando você menos espera está cometendo os mesmos enganos.

Manter a mente aberta, também pode significar: ouça as pessoas, submeta-se a uma terapia. É muito incômodo saber, ter que ouvir e reconhecer que estamos errados ou que estávamos enganados. É ter a boa vontade, ou seja, estou sendo honesto comigo mesmo, sei onde estou errando, sei como fazer para mudar e não MUDO! Não faço nada para mudar, talvez na esperança que as coisas possam continuar a ser do jeito como eu imagino.

Todo esse processo de aceitação, fé, boa vontade, honestidade e entrega, está diretamente relacionado a sua capacidade de querer se tornar uma pessoa melhor. E você é capaz disso, você é muito mais do que supõe ser, experiente fazer esse esforço e verá resultados maravilhosos, até mesmo a curto prazo.

Para você pensar melhor no que foi dito, deixo uma frase muito interessante, escrita por um filósofo grego: "Quando eu disse a um caroço de laranja que dentro dele dormia um laranjal inteirinho, ele me olhou estupidamente incrédulo." Hermógenes

Compartilhe este artigo

Comentário (1)

  • Maria Elisabete Lima, São Paulo Denunciar

    Esta matéria é muito interessante, todos nós - mais cedo ou mais tarde - teremos que enfrentar nosso vazio existencial.

Faça um comentário

Caso tenha um Perfil ativo no site, entre no Perfil antes para facilitar o preenchimento deste formulário